DeFi

Primeira versão do código de hard fork do Ethereum contém erro que poderia reverter blocos

A equipe por trás do EthereumPoW (ETHW), potencial hard fork da rede Ethereum, divulgou o código do projeto no GitHub. Mas no dia 14 de agosto, usuários detectaram uma falha no código que poderia reverter blocos da blockchain.

De acordo com o jornalista Colin Wu, a reversão poderia levar a blockchain ao status de antes do hard fork London, ativado há mais de um ano. Ou seja, a ETHW não reconheceria nenhum dos blocos criados desde aquela data, o que traria grandes problemas de compatibilidade.

Na segunda-feira (15), um desenvolvedor alertou a equipe do ETHW sobre a falha, que passou por uma correção. Porém, o caso traz uma nova luz para os riscos de uma divisão na rede acarretar problemas para o ecossistema como um todo.

Código com falhas

De acordo com o GitHub, o grupo liderado pelo minerador Chandler Guo lançou o repositório da nova rede há oito dias. A pasta contém diversas informações sobre o ETHW, desde a nova logomarca – parecida com a do Ethereum – até a confirmação da Prova de Trabalho (PoW).

Além disso, o código também confirma a exclusão da EIP-1559, conforme noticiado pelo CriptoFácil. No entanto, um desenvolvedor conhecido como Zhijie encontrou uma brecha (loophole) no código.

Segundo Zhijie, a brecha permitia uma reversão de blocos na blockchain que chegaria até a época do hard fork London. Por meio desta reversão, qualquer bloco minerado após o hard fork ocorrido em agosto de 2021 seria rejeitado pela nova rede.

“Hm, talvez eu esteja errado, mas o código abaixo vai alterar com que a raiz do estado em um bloco e, eventualmente, bloqueie a alteração do hash. A rede ETHW não aceitará nenhum bloco minerado desde o hard fork London. Em outras palavras, a ETHW não será uma continuação da ETH, mas uma reversão pré-London” alertou o desenvolvedor.

Isso significa que a nova rede teria grandes problemas de continuidade. Com uma reversão neste nível, a ETHW não poderia dar continuidade às transações da ETH a partir da atualização The Merge. Na prática, seria uma rede totalmente diferente e ainda menos compatível do que um hard fork tradicional.

Desenvolvedores consertam problema

Ao escrever seu alerta, Zhijie marcou os perfis da ETHW e de Chandler Guo no Twitter, como uma forma de alertá-los. Cerca de 22 horas depois, o perfil da ETHW confirmou a falha e disse que a equipe já tinha conseguido resolver o problema.

Quem trouxe a solução foi Alexey Akhunov, engenheiro de software que faz parte da equipe da futura nova rede. De acordo com Wu, a equipe divulgou o código de correção para a vulnerabilidade na manhã desta terça-feira (16). O código já se encontra disponível no GitHub.

Leia também: Tencent interrompe vendas de NFTs com aumento do escrutínio regulatório na China 

Leia também: 3º Ethereum, Hard Fork e a criação de mais uma comunidade cripto forçada

Leia também: “Colapso da Terra foi sabotagem interna”, afirma Do Kwon