Tecnologia

Monero executa hard fork para melhorar segurança e privacidade

Em meio a debates sobre privacidade e descentralização no mercado cripto, a Monero (XMR) informou que executou um hard fork para se tornar um protocolo mais seguro e ainda mais privado.

No dia 13 de agosto, um dos protocolos de privacidade mais importantes do mercado executou uma atualização com foco na melhoria de vários de seus recursos.

Conforme informou o protocolo, o hard fork ocorreu com sucesso na altura do bloco 2.688.888. Mais de 70 desenvolvedores ajudaram na atualização, cujo anúncio ocorreu há cerca de quatro meses. Inicialmente, a atualização iria ocorrer em julho, mas os desenvolvedores a adiaram para o mês de agosto.

“Parabéns por uma atualização de rede bem-sucedida! Monero agora é mais privado e eficiente com ringsize 16, Bulletproofs+ e tags de visualização! Certifique-se de que seu nó / carteira esteja atualizado para continuar usando o Monero. Privacidade e fungibilidade são importantes. E é emocionante continuar melhorando!”, tuitou o protocolo.

Hard fork da rede Monero

De acordo com a equipe, a atualização promoveu diversas correções no mecanismo interno de multi-assinatura (multisig). O objetivo era facilitar a troca de informações como, por exemplo, os conjuntos de chaves e a sincronização de dados entre as carteiras.

“Multisig significa que uma transação precisa de várias assinaturas antes de poder ser enviada à rede Monero e executada. Em vez de uma carteira Monero criando, assinando e enviando transações por conta própria, você terá um grupo inteiro de carteiras e colaboração entre elas para realizar as transações”, diz o site da Monero.

Além disso, outra atualização que ocorreu no fork teve a ver com o número de aprovadores de assinaturas que aumentou de 11 para 16. Essas assinaturas garantem que seja impossível rastrear a origem das transações na rede.

Conforme destacou a equipe no tuíte, o algoritmo à prova de conhecimento zero bulletproof recebeu uma atualização para bulletproof+.

Na prática, isso quer dizer que o tamanho da transação foi reduzido em cerca de 5 a 7%. Dessa forma, o desempenho da verificação terá uma melhora no mesmo de 5% a 7%, tornando as transações mais leves e mais rápidas.

Outra melhoria foi o “Visualizar tags”. A opção que permite acelerar a sincronização da carteira em 30% a 40%. Isso ajuda a aumentar o desempenho geral do Monero (XMR).

Sobre o Monero (XMR)

O Monero, cujo token nativo é o XMR, é um protocolo de código aberto lançado em 2014. De acordo com o site do projeto, o token XMR é seguro, privado e não rastreável que mantém as transações confidenciais.

No momento da redação desta matéria, o token está custando cerca de R$ 846. O preço manteve-se estável nas últimas 24 horas, variando cerca de 0,45% no período. Mas na última semana, o preço recuou cerca de 3%.

Gráfico de preço do token XMR nos últimos sete dias – Fonte: CoinMarketCap

Leia também: “No futuro, vamos usar cripto sem saber”, diz executivo brasileiro

Leia também: Taiwan implementará tecnologia blockchain para combater ataques cibernéticos

Leia também: Bitcoin atinge R$ 123 mil e ETH chega aos US$ 2 mil. BNB, SOL, ADA, XRP, MANA e Axie Infinity registram queda