Categorias Notícias

Lido anuncia detalhes de como funcionará staking de ETH na Arbitrum e Optimism

A plataforma de staking baseada em Ethereum Lido anunciou na terça-feira (16) os primeiros passos e detalhes técnicos sobre a expansão de seus serviços. Nesse sentido, o ecossistema de staking da Lido começará a rodas nas segundas camadas de finanças descentralizadas (DeFi).

Na fase inicial de lançamento, as camadas Arbitrum e Optimism receberão os primeiros serviços de staking. A Lido pretende operar com o seu token nativo Staked Ether (stETH), que levou diversos protocolos de empréstimos ao colapso.

Com o dimensionamento do Ethereum usando soluções de segunda camada, o Lido também oferece suporte ao Ethereum. No entanto, os proponente do hard fork EthereumPoW (ETHW) já estão com planos para congelar os pools da nova rede.

Lido revela detalhes da expansão

O Lido Finance, visa criar ativos de staking de alta liquidez com aplicações generalizadas no mercado DeFi. A principal dessas atualizações é o staking de Ether (ETH), como uma preparação para a atualização The Merge, que implementará a Prova de Participação (PoS) no Ethereum.

Nesse sentido, o protoloco é o maior entre os provedores de staking, contendo 31% de todas as ETH guardadas em staking. Por isso, as atualizações do Lido são vistas com atenção por quem pretende tornar-se validador da rede.

Na terça-feira, a Lido anunciou atualizações em seu plano de expansão , dando detalhes sobre as fases iniciais de desenvolvimento e diretrizes técnicas. O protocolo escreveu uma série de tuítes em sua conta para explicar as novas atualizações.

Em primeiro lugar, o Lido pretende fazer a ponte entre derivativos de staking de ETH para soluções de segunda camada. Neste momento, as soluções da Arbitrum e Optimism receberão os primeiros passos, já que ambas são as maiores do Ethereum.

Durante a atualização, a Lido criará um novo token, o stETH embrulhado (wstETH). Este token circulará exclusivamente nas duas camadas, permitindo que a Lido construa o staking de ETH no futuro.

Em seguida, o protocolo vai lançar uma votação instantânea para a aprovação dos planos de ponte. Esta votação ocorrerá na DAO do Lido e todos os membros poderão votar. Antes da votação, a rede pretende executar uma auditoria públic de contratos de ponte de governança para Arbitrum e Optimism.

O plano de expansão para as segundas camadas é baseado na ideia de oferecer taxas mais baixas aos provedores de staking de ETH. Além disso, os provedores terão a chance de receber mais ao prover liquidez para as segundas camadas.

ETHW quer congelar pools de liquidez

Ao passo que a Lido e o Ethereum pretendem reforçar o staking, os mineradores atuais querem congelar a atividade. O perfil oficial da nova rede publicou esta diretriz também na terça-feira (16), por meio do Twitter.

De acordo com os organizadores do hard fork, os usuários não poderão depositar ETHW em pools de liquidez nos primeiros dias após a divisão. Isso porque a equipe vai congelar os depósitos nos pools, segundo eles para “proteger os ativos dos usuários”.

Em outras palavras, alguns pools – como os da Uniswap, Aave e Compound – poderão receber tokens ETHW no futuro, mas não logo após a divisão. O grupo afirma que hackers podem invadir os pools e roubar tokens, aproveitando uma eventual confusão com o The Merge e o hard fork.

“Portanto, o núcleo ETHW está tomando a decisão de congelar contratos inteligentes de pools de empréstimos até que essas empresas possam encontrar uma solução melhor”, disse o EthereumPoW.

Leia também: 1 Bitcoin por R$2.300

Leia também: EOS anuncia hard fork para setembro e quer se separar da Block.one; preço dispara 24%

Leia também: Unstoppable Domains lança app que permite gerenciar identidade da Web3 no IPhone