Home » Investimento em Criptomoedas » Como Investir em Bitcoin: Guia para Iniciantes

Como Investir em Bitcoin: Guia para Iniciantes

Com a crescente popularidade das criptomoedas, investir em Bitcoin tornou-se uma opção atraente para muitos. Com a recente aprovação de ETFs e inovações como caixas eletrônicos de Bitcoin e casinos online que aceitam a moeda digital, o universo das criptomoedas está mais dinâmico do que nunca. 

Este guia busca fornecer uma visão abrangente sobre como iniciar sua jornada no mundo do Bitcoin, desde a escolha de exchanges confiáveis até a implementação de práticas de segurança e a compreensão do mercado. 

Seja você um investidor iniciante ou alguém buscando aprimorar suas estratégias, este post é para você!

Investir em Bitcoin em 2024 é boa ideia?

Por mais que alguns especialistas ainda insistem em apontar para o risco de se investir em Bitcoin, o nosso veredito é um só: vale muito a pena investir em Bitcoin em 2024!

Não tem como negar que o Bitcoin tem sido o maior retorno sobre investimento para aplicações de longo prazo, desde que o BTC caiu no conhecimento e no gosto do povo, há mais de 10 anos.

Em novembro de 2021 o preço de Bitcoin atingiu o All Time High (ATH), chegando a valer mais de US$ 69 mil. E, mesmo após a queda, ainda segue com forças para enfrentar o mercado e trazer ainda mais lucros. Muitos gurus falharam previsões, pelo que a estratégia no Bitcoin mais certeira foi a que aplicou critérios de análise técnica de longo prazo e bullish.

Existem alguns fatores que sugerem que o Bitcoin pode continuar a se valorizar em 2024. O primeiro é o crescente interesse institucional em criptomoedas. Cada vez mais empresas e investidores institucionais estão comprando Bitcoin, o que pode aumentar a demanda e, consequentemente, o preço da moeda.

O segundo fator é a adoção crescente do Bitcoin por consumidores e comerciantes. Cada vez mais pessoas estão usando Bitcoin para comprar bens e serviços, o que também pode aumentar a demanda pela moeda.

Principais motivos para investir em Bitcoin em Fevereiro

No atual cenário econômico, vislumbramos um aumento no preço do Bitcoin em relação ao seu valor corrente, fundamentado em diversas razões sólidas. 

A compreensão dos ciclos de mercado é crucial, e o entusiasmo exuberante observado em 2021 foi seguido por uma correção de preços natural. 

Neste período de estabilização pós-hype, emerge uma oportunidade estratégica para acumular e investir, destacando o momento propício para entrada no mercado.

Halving Bitcoin vai aumentar o seu valor

bitcoin halving

O fenômeno do halving no Bitcoin é um evento intrínseco à sua estrutura de emissão de novas moedas, ocorrendo aproximadamente a cada quatro anos. 

Este processo consiste na redução pela metade da recompensa concedida aos mineradores, impactando diretamente a oferta de novas unidades da criptomoeda. 

O halving é uma característica incorporada ao protocolo do Bitcoin, projetada para controlar sua oferta total. A cada 210.000 blocos minerados, a recompensa dos mineradores é reduzida pela metade. Esse ajuste sistemático cria uma escassez artificial, impactando positivamente a dinâmica de oferta e demanda.

A redução na taxa de emissão de novos Bitcoins resultante do halving contribui para a escassez percebida da criptomoeda. 

Historicamente, ativos com oferta limitada tendem a ser mais valorizados, conforme evidenciado pela teoria econômica. Este efeito de escassez é um dos principais motores por trás da expectativa de valorização do Bitcoin após cada ciclo de halving:

  • 2012 Halving: Após o primeiro halving em 2012, o preço do Bitcoin experimentou um aumento notável, passando de aproximadamente $12 para mais de $100 no ano seguinte.
  • 2016 Halving: No segundo halving em 2016, o Bitcoin iniciou um período de valorização significativa, atingindo um pico de cerca de $20.000 em dezembro de 2017.

Com o próximo halving programado para acontecer em 2024, o preço do Bitcoin pode sofrer uma valorização significativa nas próximas semanas. 

Indicadores técnicos antecipam bull run

O uso de indicadores técnicos desempenha um papel crucial na análise do comportamento do mercado de criptomoedas, permitindo aos investidores antecipar movimentos significativos, como o tão esperado “bull run”.

Alguns indicadores técnicos podem nos ajudar a compreender melhor os momentos do ativo, para saber exatamente quais os melhores momentos para investir. Quer ver?

RSI (Índice de Força Relativa)

O RSI é um indicador que mensura a força e velocidade das mudanças nos preços. Valores abaixo de 30 indicam uma condição de sobreventa, enquanto valores acima de 70 apontam para sobrecompra. 

Em cenários anteriores de bull run, observou-se o RSI atingindo níveis elevados, indicando um forte impulso de compra.

Exemplo: Durante o bull run de 2017, o RSI do Bitcoin frequentemente ultrapassou 70, refletindo a intensidade da tendência de alta.

MACD (Convergência e Divergência de Médias Móveis)

O MACD analisa a diferença entre duas médias móveis, revelando mudanças na força de uma tendência. Cruzamentos positivos (quando a linha MACD cruza acima da linha de sinal) são interpretados como sinais de alta iminente.

Exemplo: Antes do início do bull run de 2013, houve uma série de cruzamentos positivos no MACD do Bitcoin, antecipando a subsequente valorização.

Bandas de Bollinger

As Bandas de Bollinger identificam a volatilidade e as condições de sobrecompra ou sobrevenda. Durante bull runs, a expansão das bandas é comum, refletindo um aumento na volatilidade associada a movimentos de alta.

Exemplo: No início do bull run de 2020, as Bandas de Bollinger do Ethereum se expandiram, sinalizando o início de uma fase de aumento de preço.

Volume de Negociação

O volume de negociação é um indicador-chave para validar movimentos de preço. Aumentos substanciais no volume, especialmente durante períodos de acumulação, frequentemente precedem bull runs.

Exemplo: O aumento acentuado no volume de negociação do Ripple em 2017 antecedeu um notável bull run da criptomoeda.

Padrões Gráficos

Padrões como bandeiras, cunhas e triângulos simétricos muitas vezes indicam futuros movimentos de preço. Durante bull runs, a formação desses padrões pode ser um sinal de continuação da tendência de alta.

Exemplo: O padrão de bandeira formado no gráfico do Litecoin em 2019 antecipou uma significativa valorização.

Volume de negociações BTC está a crescer

A estabilização pós-hype não só indica um amadurecimento do mercado, mas também representa um momento estratégico para entrada. 

Durante essa fase, os investidores têm a oportunidade de adquirir ativos a preços mais atraentes, capitalizando a estabilidade emergente antes de eventuais impulsos de valor.

O Bitcoin, ao longo do tempo, demonstrou ser uma valiosa adição a portfolios diversificados. Sua natureza descentralizada e resistência à inflação o posicionam como uma reserva de valor sólida, especialmente em ambientes econômicos voláteis.

Para ilustrar a eficácia desse momento estratégico, observamos casos históricos em que a estabilização pós-hype precedeu notáveis aumentos de preço. 

O período pós-2017, por exemplo, ofereceu oportunidades significativas de lucro para investidores que capitalizaram a subsequente recuperação.

BlackRock criou novos ETFs de Bitcoin

etf bitcoin blackrock

Os Exchange-Traded Funds (ETFs) de Bitcoin, cotados em bolsa, emergem como catalisadores significativos para a expansão e legitimação do ecossistema cripto. 

Com o lançamento do ETF de Bitcoin pela BlackRock, o mercado de criptomoedas está cada vez mais movimentado e o Bitcoin tem encarado novos cenários.

Em apenas uma semana após o lançamento da BlackRock no ETF de Bitcoin, o fundo atingiu a incrível marca de US$ 1 bilhão em ativos sob gestão. De acordo com o chefe de gestão de ativos da empresa, o iShares Bitcoin Trust (IBIT) está cumprindo com todas as expectativas da empresa, que já tem planos para o ETF.

De acordo com o site da BlackRock, até o dia 18 de janeiro de 2024, o fundo detinha 25.067,06170 bitcoins, o que equivalia a US$ 1.060.712.715,95.

Além disso, o fundo de ETF de Bitcoin estava sendo negociado por US$ 24,42, com cerca de 14 milhões de ações sendo negociadas na bolsa. Os números surpreendentes podem representar novos tempos para o Bitcoin e para o preço de mercado da criptomoeda.

Bitcoin poderá tornar-se numa forma de pagamento mainstream

Bitcoin tem o potencial de se tornar uma forma de pagamento mainstream, mas existem alguns desafios que precisam ser superados.

Um dos desafios é a volatilidade do Bitcoin. O preço do Bitcoin pode flutuar significativamente em um curto período de tempo, o que pode tornar difícil para os comerciantes aceitarem a moeda como pagamento.

Outro desafio é a falta de aceitação generalizada do Bitcoin. Atualmente, apenas um número limitado de comerciantes aceita Bitcoin como forma de pagamento.

No entanto, existem alguns fatores que sugerem que o Bitcoin pode se tornar mais popular como forma de pagamento. O primeiro é o crescente interesse institucional em criptomoedas. Cada vez mais empresas e investidores institucionais estão comprando Bitcoin, o que pode aumentar a demanda pela moeda e, consequentemente, sua aceitação.

O segundo fator é o desenvolvimento de novas tecnologias que podem tornar o Bitcoin mais fácil de usar e aceitar. Por exemplo, a Lightning Network é uma tecnologia que pode melhorar a velocidade e a eficiência das transações em Bitcoin.

Se esses desafios forem superados, o Bitcoin tem o potencial de se tornar uma forma de pagamento mainstream. No entanto, ainda é cedo para dizer se isso realmente acontecerá.

Bitcoin vai valorizar ou corrigir?

A recente aprovação dos ETFs (Exchange-Traded Funds) para Bitcoin foi acompanhada de um contexto peculiar, onde a notícia já estava “precificada” pelo mercado, segundo analistas. 

Além disso, um incidente de segurança envolvendo a publicação de uma notícia falsa no perfil oficial da SEC (Comissão de Valores Mobiliários dos EUA) no antigo Twitter (X) na última terça-feira, 9, teve repercussões imediatas no mercado de criptomoedas. 

Analistas destacam que a aprovação dos ETFs já era amplamente esperada pelo mercado, resultando em uma situação onde a notícia estava “precificada”. 

Isso significa que os participantes do mercado já haviam incorporado as expectativas de aprovação nos preços dos ativos, minimizando a volatilidade no momento da confirmação.

Apesar da aprovação dos ETFs não resultar em uma reação imediata do mercado, especialistas destacam que a entrada de novos capitais proporcionada por esses instrumentos pode gerar uma pressão positiva no preço do Bitcoin no médio e longo prazo.

Como aprender a investir em Bitcoin nos mercados?

O Bitcoin foi a primeira criptomoeda do mercado e a única presente em todas as exchanges de cripto no mundo. Ela está disponível no Brasil nas principais plataformas do mercado, como a Binance, Bitso, Kucoin, entre outras.

Embora o bitcoin possa ser usado para fazer compras, a maioria das pessoas ainda utilizam o Bitcoin como opção de investimento, da mesma forma que investem em ações e títulos. É considerado pelos seus detentores como uma reserva de valor e referido pelos seus apoiantes como “ouro digital”.

Com a popularidade da criptomoeda, jã existem diversos materiais na internet para ensinar os novos investidores. Aqui no Criptofácil, disponibilizamos materiais escritos sobre Como começar a investir em Bitcoin, além de vídeos publicados na nossa página do Instagram.

Como investir em Bitcoin?

Antes de começar a investir em Bitcoin, você primeiro precisa ter a consciencia de que as criptomoedas são investimentos voláteis, o que significa que as criptomoedas obtem ganhos e registram perdas de forma muito rápida. 

Além disso, o mercado de criptomoedas nunca fecha, diferentemente do mercado de ações tradicional, que tem horário para abrir e fechar, pausando as negociações.

Além disso, hoje em dia as plataformas de negociação de criptomoedas exigem dos investidores uma verificação de identidade, que inclui o envio de documentos, como o CPF. Por fim, a Receita Federal exige que investimentos e lucros obtidos com criptomoedas sejam declarados no Imposto de Renda de Pessoa Física.

Tendo isso em mente, basta seguir os passos:

O que é preciso para começar a investir em Bitcoin?

bitcoin o que é preciso para investir

  • Documento de identificação com foto, como RG, passaporte ou CNH
  • Número do CPF
  • Uma conta bancária registrada como conta pessoal (algumas exchanges também aceitam cartões de crédito internacionais como forma de depósito)
  • Conexão com a internet
  • Um computador ou dispositivo móvel
  • Uma conta verificada em uma exchange de confiança (Confira aqui as melhores corretoras para comprar Bitcoin)
  • Uma wallet de confiança

Passo 1: Escolha uma exchange de confiança para investir em Bitcoin

Pode parecer um conselho bobo, mas escolher uma exchange de confiança e com um bom relatório de fundos das exchanges e escolha uma que já tenha renome no mercado. 

Uma das principais Exchanges do Brasil para comprar criptomoedas de forma barata é a Binance.

No entanto, existem mais de 500 exchanges no mundo todo que realizam operações de compra e venda de Bitcoin. As taxas de cada uma, você pode conferir na página oficial das empresas.

Ao escolher uma exchange, verifique quais outras criptomoedas estão disponíveis para negociação e crie a sua conta na exchange que mais atende à sua estratégia. Você pode investir em criptomoedas baratas, além do Bitcoin, para construir seu capital.

Passo 2: Configure uma carteira de criptomoedas

Para aumentar a segurança da sua estratégia de investimento, o ideal é evitar deixar suas criptomoedas depositadas na exchange. Casos de falência como da FTX e casos de ataques hackers podem colocar seus investimentos em risco.

As principais carteiras do mercado são as carteiras online, Bitcoin Wallet, Phantom, Meta Mask e Bitcoin Core. Já entre as carteiras físicas, a principal do mercado é a Ledger.

Etapa 3: Faça um depósito na exchange

Antes de começar a negociar o Bitcoin, você precisará depositar uma quantia em moeda fiduciária. A maioria das exchanges aceitam somente depósitos por transferência, originados de contas bancárias da mesma titularidade. No Brasil, esse depósito pode ser feito via PIX ou TED.

No entanto, algumas exchanges maiores, como a Binance, já aceitam depósitos feitos com cartão de crédito internacional, que deverá estar em nome da mesma pessoa que registrou a conta.

Comece com valores baixos e vá aumentando o investimento à medida que for aprimorando a estratégia.

Etapa 4: Faça sua primeira compra

Se você está acostumado a investir em ações, o processo para investir em Bitcoin será familiar. Para começar a investir, basta encontrar a criptomoeda na exchange e clicar em “comprar”. 

Algumas exchanges têm preços pré-definidos, enquanto outras permitem que você dê o seu lance para o ativo e a compra será concluída quando a criptomoeda chegar ao valor escolhido. Você pode emitir, ainda, várias ordens de compra com valores diferentes que serão liquidadas automaticamente.

Etapa 5: Fique de olho no seu investimento

Para investimentos de longo prazo, o ideal é que a criptomoeda comprada seja transferida para uma wallet. Também é importante lembrar de ficar de olho no valor do ativo, para evitar grandes perdas do valor investido.

Conclusão

Aprender como investir em Bitcoin não é apenas sobre seguir tendências, mas sim compreender as estratégias, os desafios e as oportunidades que essa inovadora classe de ativos apresenta. 

Ao escolher exchanges confiáveis, implementar práticas de segurança e compreender os sinais do mercado, você estará melhor equipado para navegar pelo emocionante mundo do Bitcoin. Lembre-se, a chave do sucesso está na educação contínua e na adaptação às mudanças dinâmicas desse ecossistema.

Que sua jornada de investimento em Bitcoin seja repleta de descobertas, crescimento e, claro, retornos positivos. Invista com sabedoria!

FAQs

O que é Bitcoin?

É seguro investir em Bitcoin?

O que são ETFs de Bitcoin?

Os cassinos de Bitcoin são seguros?

O que é halving do Bitcoin?